terça-feira, 1 de fevereiro de 2011 | By: Pimenthynha

Você é um Sucesso!





Há pessoas que se queixam tanto que eu, hoje em dia, quando as encontro, tenho receio de perguntar: Como vai? Porque, quando faço isso, elas apresentam seu muro de lamentações e eu, como não pretendo cultivar essa sintonia, tento, a todo custo, encontrar uma brecha para escapar.

O melhor é ir logo dizendo: Como você está bem! Que maravilha! Elas, que se preparavam para desfiar o rosário de queixas, ficam sem graça, mas se sentem melhor e reagem mais animadas: Você acha?

Você é das que se queixam ou das que consolam? Quando alguém se queixa e você acha que precisa ser compreensiva, faz uma cara solidária para parecer que é muito boa e que sofre com a dor alheia, e, ao agir assim, acaba carregando boa parte das energias negativas da pessoa. Se for muito sensível, é provável que a queixosa acabe por se sentir melhor e você saia dali derreada.

Como?! Não é caridade sentir os sofrimentos dos outros? Tentar ajudar? Quando a ajuda é efetiva e verdadeira, ela é divina. Quem consegue isso certamente irá sentir-se muito bem. Mas, se nos sentimos mal, é claro que aconteceu o oposto. Em vez de prestar ajuda como pretendíamos, baixamos nosso padrão energético e ficamos iguais à pessoa.

Mas eu tinha boa intenção. Por que aconteceu isso? Será? Nós gostamos de parecer caridosos, apesar da compaixão sincera não nos impulsionar. Fazemos isso por uma convenção social em que não entra o prazer nem o verdadeiro sentimento. Mas nossas atitudes no dia a dia não obedecem a nossas fantasias, e sim, refletem ideias que acreditamos. Muitas são parciais, falsas, aprendidas e aceitas sem questionar.

Nosso subconsciente trabalha na materialização de nossas sentenças. Ele não tem senso de humor. Faz sempre o que acreditamos. Não falha. Dessa forma, o fracasso não existe. Você foi sempre um sucesso! Sua vida é obra sua. Você é responsável por suas experiências. Mesmo aquelas que parecem não depender de você foram atraídas por sua forma de pensar.

As coisas não vão bem? Só colhe infelicidade? É hora de perceber como você faz isso. Certamente não escolheu a atitude adequada para obter bons resultados. Mudando essa atitude, tudo se modificará.

A vida deseja que você desenvolva seus potenciais de espírito eterno e aprenda a ser feliz. A felicidade é nosso destino e só o bem é verdadeiro. Para nos ensinar isso, a vida programa nossas experiências de acordo com nossas necessidades. Pelo resultado dessas experiências, conquistamos a sabedoria.

Na queixa, há sempre uma justificativa para continuarmos a ser como somos, mas há também uma auto-imagem negativa. Você pensa que não pode fazer nada, que é incapaz e não merece. Conforma-se em ser pobre, em ficar em segundo plano, em pensar primeiro nos outros (é feio pensar em você primeiro). Acha que para você ter, outros terão que lhe dar. Como se Deus fosse pobre e tão limitado que para dar a uns teria que tirar de outros. Esses pensamentos são altamente deprimentes e atraem infelicidade.

Seu subconsciente reage às mensagens que você lhe envia. Você tem todo o poder de criar seu próprio destino. Se deseja viver melhor, reconheça isso.

Faça uma lista do que crê e até das frases que costuma dizer. Se puser atenção e for sincera, logo perceberá quais as crenças que são responsáveis por sua infelicidade. Não pense mais nelas. Esqueça-as. Quanto mais se preocupar em eliminá-las, mais pensará nelas e as alimentará.

Tente cultivar o oposto. Faça afirmações positivas sempre usando o presente. Exemplos: "Eu sou feliz", "Tenho muita sorte", "Minha saúde está cada dia melhor" etc. Escreva-as e espalhe-as em sua casa, nos lugares onde possa vê-las constantemente. Repita-as várias vezes ao dia. Mas não se esqueça de pôr emoção nelas, de acreditar realmente no que afirma. Ignore aquela vozinha que lhe diz que não vai funcionar. Não custa nada experimentar.

Lembre-se de que todos os problemas de sua vida são criações pessoais. Você foi, é e sempre será um sucesso. Suas escolhas podem ter dado um resultado adverso do que esperava, mas você conseguiu materializá-las. Elas refletem suas crenças e o seu subconsciente as materializa. Pense nisso.


Por Zibia Gasparetto, em Conversando Contigo!